18 de fevereiro de 2013

As Primeiras Papinhas




Depois de iniciada as frutinhas (veja o post sobre introdução alimentar), vêm as primeiras papinhas.  Comece a papa salgada uma vez ao dia, no almoço, por exemplo. Depois de uma a duas semanas ofereça também o jantar.

Você pode começar com um ingrediente de cada vez, para testar o paladar. Ou misturado mesmo, sem problemas. Só fique atenta quais alimentos foram utilizados e possíveis reações indesejadas.

É importante utilizar um alimento de cada grupo: carboidratos, carnes, folhas e legumes. Depois que o bebê estiver bem acostumado com esta papinha, inclua mais um grupo, as leguminosas.
A porção vai depender da criança: idade, tamanho, peso, se e qual frequência é amamentada. Vá oferecendo e veja quanto seu pequeno come. Se estiver insegura, procure ajuda de um profissional.

1-Carboidratos - importante para dar densidade calórica a papinha, ou seja, energia para seu filho brincar, dormir e crescer. São eles: arroz, aveia, batata, batata baroa (ou mandioquinha), batata doce, cará, inhame, mandioca, milho, etc.

2-Carnes - Fontes de proteínas, elas são responsáveis pela formação da estrutura física do bebê. utilize cortes magros de boi, como o músculo,além de frango e peixes.

Folhas e Vegetais fornecem principalmente fibras, vitaminas e minerais.

3-Folhas: acelga, agrião, alface, almeirão, chicória, couve, espinafre, mostarda, rúcula, etc.

4-Vegetais: abobrinha, abóbora, beterraba, brócolis, cenoura, couve-flor, chuchu, vagem, etc.

5- Leguminosas - fonte de fibras e minerais: grão de bico, feijão, lentilha, soja, etc.
(este grupo deve entrar nas papinhas só quando seu bebê estiver acostumado com alimentação sólida)

As carnes  devem entrar na papinha, e não apenas seu caldo. Pois, neste momento, é muito importante garantir o aporte necessário de ferro. Se ficar com medo de oferecer a carne desfiada, bata no liquidificador junto com o caldo. Utilize peixes  também. Só tome cuidado com os espinhos: desfie o peixe e revise se não ficou nenhum.
Não utilize temperos prontos, apenas um pouco de cebola, alho e bem pouco sal. Ervas frescas, como salsinha, manjericão, tomilho, hortelã, também conferem sabor e melhoram as propriedades nutricionais.

Na prática:

     Grupo 1        +      Grupo 2         +         Grupo 3        +        Grupo 4    =     papinha nutritiva
mandioquinha            músculo                     couve                    abobrinha

Modo de fazer:
Cozinhe por 40 minutos o músculo em água filtrada na panela de pressão. Coloque um pouco de cebola e uma pitada de sal. Desfie o músculo. Coloque um pouco de caldo com carne em uma panelinha, o suficiente para cozinhar os legumes. Junte a mandioquinha descascada e picada. Deixe cozinhar bem. Junte a abobrinha e a couve, previamente lavadas e picadas. Deixe cozinhar. Os legumes devem sempre estar bem moles e consistência deve ser de papa, e não de sopa. Amasse bem com o garfo. Deixe esfriar, coloque um fio de azeite e sirva. Utilize a menor colher que tiver em casa, tipo a de café.


Veja os 10 passos da alimentação saudável para crianças menores de 2 anos,  recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) :


Passo 1. Dar somente leite materno até os seis meses, sem oferecer água, chás ou quaisquer outros alimentos.
Passo 2. A partir dos seis meses, introduzir de forma lenta e gradual outros alimentos, mantendo o leite materno até os dois anos de idade ou mais.
Passo 3. Após os seis meses, dar alimentos complementares (cereais, tubérculos, carnes, leguminosas, frutas, legumes), três vezes ao dia, se a criança receber leite materno, e cinco vezes ao dia, se estiver desmamada.
Passo 4. A alimentação complementar deverá ser oferecida sem rigidez de horários, respeitando-se sempre a vontade da criança.
Passo 5. A alimentação complementar deve ser espessa desde o início e oferecida com colher; começar com consistência pastosa (papas/purês) e, gradativamente, aumentar a consistência até chegar à alimentação da família.
Passo 6. Oferecer à criança diferentes alimentos ao dia. Uma alimentação variada é, também, uma alimentação colorida.
Passo 7. Estimular o consumo diário de frutas, verduras e legumes nas refeições.
Passo 8. Evitar açúcar, café, enlatados, frituras, refrigerantes, balas, salgadinhos e outras guloseimas nos primeiros anos de vida. Usar sal com moderação.
Passo 9. Cuidar da higiene no preparo e manuseio dos alimentos; garantir o seu armazenamento e conservação adequados.
Passo 10. Estimular a criança doente e convalescente a se alimentar, oferecendo sua alimentação habitual e seus alimentos preferidos, respeitando a sua aceitação.


Se tiver maior interesse, clique aqui e baixe o manual de alimentação da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Qualquer dúvida me mande um e-mail.
Boa semana!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...